Teste de Conexão

6 de jun de 2012

RECADO DE MARIA MULAMBO CIGANA DO CABARÉ


O CORPO É UMA CASA EMPRESTADA QUE DEVE SER DEVOLVIDA LIMPA POR QUE É ASSIM QUE O DONO QUER.

O DIABO DE RABO E CHIFRE NÃO EXISTE, É UMA INVENÇÃO DA IGREJA.

A PALAVRA DIABO VEM DO LATIM E SIGNIFICA CALUNIADOR . CADA UM CARREGA DENTRO DE SI O SEU PRÓPRIO DIABO CUJA ARMA MORTAL É A LÍNGUA.

A LÍNGUA É O CHICOTE DO CORPO E DO DIABO, POR ISSO, MUITO CUIDADO COM A PALAVRA QUE SE PROFERE POIS A PALAVRA MAL DITA E MAL EXPRESSADA SE TORNA UM AÇOITE QUE SE AÇOITA A SI MESMO.

PALAVRAS DE MARIA MULAMBO

27 de ago de 2010

O GUARDIÃO DA MEIA - NOITE

UM TRECHO EXTRAÍDO DO LIVRO O GUARDIÃO DA MEIA-NOITE.

“Não derrubo quem não merece, nem elevo quem não fizer por merecer.
Não traio ninguém, mas não deixo de castigar um traidor.
Não castigo um inocente, mas não perdôo um culpado.
Não dou a um devedor, mas não tiro de um credor.
Não salvo a quem quer perder-se, mas não ponho a perder quem quer salvar-se.
Não ajudo a morrer quem quer viver, mas não deixo vivo quem quer matar-se.
Não tomo de quem achar, mas não devolvo a quem perder.
Não pego o poder do Senhor da Luz, mas não recuso o poder do Senhor das Trevas.
Não induzo ninguém a abandonar o caminho da Lei, mas não culpo quem dele se afastar.
Não ajudo quem não quer ser ajudado, mas não nego ajuda a quem merecer.
Sirvo à Luz. Mas também sirvo às Trevas.
No meu reino eu mando e sei me comportar.
Não peço o impossível, mas dou o possível.
Nem tudo que me pedem eu dou, mas nem tudo que dou é porque me pediram.
Só respeito a Lei do Grande da Luz e das Trevas e nada mais.”

22 de dez de 2009

MULAMBO

Essa mensagem foi extraída da página de JOÂO CARLOS MARUJO no site da RBU - REDE BRASILEIRA DE UMBANDA.

MENSAGEM DE MARIA MULAMBO

Pensaram que eu não evoluiria
Pensaram que minha existência era na escuridão
Exigiam de mim aceitar oferendas
Diziam a mim, se tem forças demonstre
Falavam de mim, se trabalhas diga palavras grosseiras
Não sedes exu mulher, sim era o que diziam a mim.
Mas para que, por que
Para que deveria dizer palavras grosseiras
Para que receberia sacrificios e oferendas
Para que me portaria como uma qualquer
Será que a mim não era reservado o amor de Zambi
Será que a mim não era reservado o direito de
trabalhar como guardiã
Por que dizem que influencio materias masculinas,
sabem por que….
Por que nunca entenderam de fato o que faz uma Pomba Gira
Por que nunca realmente conversaram com uma Pomba Gira
De fato, ja estive as sombras, mas a graça do trabalho
reparador me trouxe luz.
Me trouxe amigos, e me trouxe afetos
Estou em um meio, meio qual me sinto honrada, e feliz,
em meio de amigos e irmãos.
Pobre de quem não pode entender a Lei.


Maria Mulambo

26 de nov de 2009

MENSAGEM DE UM MENTOR

Bom dia à todos!

Hoje pela manhã, ainda dormindo, me vi num cenário distante, sentada em uma pedra e ouvi um Senhor que me dizia em voz calma e suave:

" _ A DISSIPAÇÃO DA INCORPORAÇÃO, DESPEJA TÚMULOS DENTRO DOS NOSSOS CORPOS!"

Estou dividindo com vocês pois esta frase não é pra ficar guardada.

Caso vos interesse, favor mencionar a fonte de onde copiaram.

Um forte abraço!
Débora Lin Hai

28 de out de 2009

Primeira Incorporação.



Dofono Tì Omolú.

Bem não lembro muita coisa, até por que quando estou incorporado com a Mulambo da Calunga perco meus sentidos... O que lembro é que estávamos indo a cachoeira do Santa Maria (Bairro do Rio de janeiro - Reg. Oeste) eu e alguns amigos para pegar tabatinga. Ao voltar esbarrei em uma oferenda para exu, eu como sempre “abusado” peguei a vela que estava lá e segurando em uma mão comecei a zombar! É a única coisa que lembro.

Relatos do Ogan do Ilé.

Dentre as pessoas presente naquele dia, um deles era um Ogan do ilè. O mesmo presenciou tudo o que aconteceu e me contou o que irei relatar. (Todas as informações foram passadas pelo ogan do ilè, não tenho nada que comprove as coisas descritas abaixo, ficando inseto de qualquer informação incorreta).

Após a incorporação o ogan falou que a entidade desde inicio se apresentou como Mulambo da Calunga, pediu que chamasse o pai de santo da casa e o mesmo recusou em ir falar com ela, além de duvidar e mandar recados constantemente de realização de’ prova de fogo” a pomba gira além de está sendo afrontada ficou enquizilada pela a atitude do Donté e falou que ia ao encontro dele... Passando por um ponto daquela determinada rua o ogan falou que tinha uma fogueira, a pombagira entrou na mesma e perguntou ao ogan se aquela prova era suficiente para que passassem acreditar que era ela que estava ali, o Ogan assustado com o ato falou que sim e pediu agó a pombagira. Enfim apenas o Ogan acreditou na pombagira de imediato e conduzido a mesma ao encontro do Donté.

Sem Relatos.

Não sei mais o que aconteceu a única coisa que sei é que acordei na rua (fora do barracão) caído no chão, ouvir o Donté falar:

- “Que pombagira é essa que vem, vai embora na rua e ainda deixa o cavalo jogado no chão!”.
Donté Tí Osòóse.

Bem quem é não sei, só sei o que contado pelo Ogan e farei a mesma coisa se fosse ela, pois ele chegou e se apresentou de forma educada ele que se recusou em falar ou pelo menos ouvir o que ele feio falar!

Recados.

O recado que foi me passado naquele dia foi:

- Para não mexer em oferendas sem saber pra quem, e para que foi oferecida;

- Não imitar e nem brincar com Exu.

Prova Maior.

A pomba gira riscou o ponto dela, falou da onde vinha e qual seu caminho e sempre deixou claro que não vinha pelo caminho de Osún ( No primeiro Ilé o zelador iria fazer Osún como primeiro santo em minha cabeça) e sim pelos caminhos de Omolú. Ressumindo hoje estou aqui feito de Omolú no Ilé Asé Orun Aiyer Èwé Tì Osòóse pelo Zelador Mauro Tì Osòóse, prova que a pombagira só veio alerta-lo e falar a verdade mesmo sem ser ouvida.

Laroy Exú Salve Tata Mulambo da Calunga!
Dofono Tì Omolú.

22 de out de 2009

MARIA MULAMBO DO CABARÉ

SALVE MINHA RAINHA!!!


É com muita honra que trago-lhes as primeiras informações fornecidas por minha guardiã e protetora. 
 
  Apesar do seu jeito, atrevo-me dizer "arrogante", é uma Pombo-gira dona de muita seriedade e que gosta de tudo certo em seus devidos lugares. Pelas poucas vezes que vem cantando, gargalhando e dançarolando é confundida com Padilha e com cigana mas, dito por ela, ela vem de todos os caminhos. Cabaré seria apenas uma referência devido ao seu trajeto quando encarnada.

   Deixo aqui o meu primeiro comentário autorizado e ditado pela Cabaré neste blog.

Um forte abraço à todos e que Deus os ilumine sempre!!!


Salve Dona Maria Mulambo do Cabaré!!!

9 de out de 2009

MARIA MULAMBO RAINHA DO CABARÉ


Ou simplesmente "MULAMBO DO CABARÉ"

Essa é a imagem que ela usa para apresentar-se a mim.
Linda, sempre muito culta e educada, traços e trajes finos, aos poucos fui descobrindo a maravilha de tê-la caminhando sempre ao meu lado.


O INÍCIO

Ao contrário deste nosso amigo em comum, não tinha conhecimento de entidade nenhuma e, confesso que até desprezava um pouco Exús e Pomba-giras pois, cresci ouvindo que esses moços e moças vinham apenas para usar seus médiuns receptores como aparelho para sexo, bebida cigarro dentre outras observações das quais cabem apenas à cada um.
Quando senti sua presença pela 1ª vez há quase 3 anos, apesar do medo que me tomava, pude perceber o quão era linda e quão boa era a sensação de estar ao seu lado. Percebi também que vinha de um cabaré.


A PROVA

Dentre vários sonhos e visões por Ela mostrados, por muitas vezes me encontrei num castelo grande e luxuoso, com grandes mesas fartas de muitas frutas, massas e assados, muito vinho e champanhe, muita gente bebendo e festejando e Ela lá, observando sempre tudo com muita atenção deslizando sobre aquele grande tapete de veludo vermelho.
Não bastando e ainda à renegando, fui convidada para uma gira da minha grande amiga "TÁTA MULAMBO DA CALUNGA" por quem tenho muito apreço e gratidão.
Nunca havia participado de nenhuma gira pois, a minha ignorância permitia que o medo me impedisse.
Mas curiosa  e com a vontade de saber mais sobre o até então desconhecido, tomei coragem e fui até lá. Ao chegar, fui muito bem recebida pela dona da gira que foi logo me dizendo: _"A moça tem uma Pombo-gira muito bonita."
E tão nervosa quanto curiosa perguntei: _ Quem é ela?
Para minha surpresa, disse a anfitriã: _"Pois ela que venha se apresentar!"

" EU SOU MARIA MULAMBO E VENHO DE UM CABARÉ!"

Primeiras palavras pronunciadas pela MULAMBO DO CABARÉ.


Me apresentando: Meu nome é Débora Lin hai, sou amiga/irmã de José Danilo o mentor da idéia de criar o blog  para iniciarmos juntos uma homenagem à estas entidades maravilhosas que carregamos.


8 de out de 2009

"Tata Mulambo Da Calunga"

O Inicio.
Há mais ou menos dois anos atrás resolvi seguir o candomblé, cheguei até o barracão sem saber e entender de absolutamente nada, fui apresentado ao zelador a qual me “iniciou” nesse novo universo....

Primeiro Jogo de Búzios.
No primeiro jogo de búzios com o zelador de santo foi cheio de confissões da minha vida e uma delas foi a que eu era de um tal exu chamado Maria Mulambo da Calunga (cemitério), fiquei surpreso e como já conhecia e tinha uma certa afinidade por Maria Padilha comecei a chora e renegar aquela tal entidade....
A Prova.
Tendo em vista minha lagrimas de renegação a Maria Mulambo. Uma certa noite sonhei que estava em um determinado lugar no meio do nada, tudo escuro e vazio, avistei um trono e uma mulher sentada nele, também avistei um homem no chão com as mãos para traz e aquela mulher veio a falar a seguinte frase: “ por que você não me aceita e não acredita em minha? Ainda nem me conhece ! eu vou provar pra você quem eu sou...meu nome é Tata Mulambo Da Calunga !” e me dava três tapinhas no peito....ao acordar meio assustado sentir uma tremenda dor no lugar onde ela bateu, dor essa que só foi embora ao completar 7 dias (conta de exu)...
As Mudanças.
Depois que passei a incorporar com Maria Mulambo Da Calunga, minha vida mudou...e esse é um dos motivos que levou a criar esse blog, comentar sobre esse exu e postar o que o mesmo fala em suas passagens a terra...(recados passados a terceiros e posteriormente postados). Me chamo José Danilo (Dofono Tí Omulú) sou feito no orixá e amo a entidade que carrego.